DESAFIO DE GERAR RIQUEZA A CADA GERAÇÃO



Os biólogos estudam o comportamento e a organização de diferentes espécies animais. A ciência econômica, por sua vez, analisa o comporta-mento do Homo Economicus, conceito segundo o qual o homem é um ser racional, perfeitamente informado e centrado em si próprio. E, mais do que isso, um ser que deseja riqueza, evita trabalho desnecessário e tem a capacidade de tomar suas próprias decisões, de forma a atingir seus objetivos.


Acontece que historicamente a espécime “brasileira” não tem o hábito de poupar, tão pouco controlar despesas e gerenciar suas finanças pessoais. Parte da culpa é da época da inflação, na qual guardar dinheiro de um mês para o outro era o mesmo que jogar parte dele no lixo. Se engana quem pensa, no entanto, que o impacto do chamado comportamento microeconômico se restringe ao próprio indivíduo e sua família. No que tange às empresas familiares, por exemplo, a realidade mostra que, à medida que as gerações vão se sucedendo, as posteriores tendem a consumir mais riqueza que as anteriores – incluindo imóveis, automóveis, viagens e afins –, em detrimento dos investimentos e da produtividade.


Confira a matéria completa

https://www.hoft.com/post/o-impacto-comportamental-do-homo-economicus

10 visualizações0 comentário